segunda-feira, 26 de junho de 2017


OFICINA & WORKSHOP!

Aberto às/aos interessada(o)s na arte dos palhaços.
20 vagas!!!
R$ 200,00 (oficina & workshop)
 (confirmação de inscrição mediante depósito antecipado)
PARA INSCRIÇÕES E DEMAIS INFORMAÇÕES:

cursos@circus.org.br



Oficina de Palhaço
com
Luiz Carlos Vasconcelos (Palhaço XUXU)

Duração: 12h  (19/07  de 14h às 17h, 20/07 e 21/07 de 9h30 às 12h30)

Proposta básica: O tempo cômico na arte dos palhaços


"O que faz um homem se tornar um palhaço?
Talvez, certos homens, para crescer, precisem se expor assim. Xuxu me acompanha desde muito tempo, lhe devo muito. 
Convivendo com ele aprendi a olhar o mundo e as pessoas com olhos mais atentos e sinceros. Aprendi também a olhar para mim, e após o primeiro susto, desatar a rir. Estou ampliado nele. Minha vaidade por exemplo, expressão do meu egoismo, se transforma em atitude generosa ao divertir os outros.
A dimensão de um palhaço, creio, está diretamente relacionada à dimensão do real ridículo de quem o encarna. Tornar esse ridículo risível ou terno e oferecê-lo aos outros, é a missão espiritual dos palhaços.
Portanto, ao olhar para Xuxu, não tenha dúvida, somos assim mesmo."
( Luiz Carlos Vasconcelos)


SOBRE LUIZ CARLOS VASCONCELOS:
O teatro e principalmente o circo sempre foram as grandes paixões de Vasconcelos, que, apesar de ser formado em Letras, estudou artes cênicas na Dinamarca para depois incorporar-se ao grupo teatral Intrépida Trupe. Em 1978, está em João Pessoa, e cria o personagem que iria acompanhá-lo pela vida afora, o palhaço Xuxu, um palhaço cidadão, nas palavras de seu criador, por ser uma presença constante nas comunidades carentes. Mesmo quando está trabalhando em outros projetos, como filmes e séries de televisão, Vasconcelos sempre arruma hora e lugar para se apresentar vestido e maquiado como Xuxu. Antes de chegar à caracterização ideal de Xuxu, Vasoncelos interpretou vários palhaços e pegou o melhor de cada um deles para compor o personagem atual. Ainda em 1978, junto com outros artistas, fundou em João Pessoa a Escola Piolim, nome dado em homenagem a um velho palhaço paraibano. O complexo, além de ser sede de seu grupo teatral, desenvolve um trabalho de educação popular. Em 1984, Vasconcelos passou a morar no Rio de Janeiro onde fez a Escola Nacional de Circo. Viveu vinte anos na capital fluminense, sustentado por Xuxu, muito requisitado para apresentações em eventos e aniversários de criança, um grande laboratório, conforme afirma o ator.Dos anos 80 em diante alterna residências entre o Rio e João Pessoa. Em 1992, na Paraíba, Vasconcelos realiza um sonho alimentado desde seus tempos de universitário: o de adaptar para o teatro o conto Vau da Sarapalha, de Guimarães Rosa. A peça produzida pelo Grupo Piolim, sob sua direção, é um sucesso: excursionou pelo Brasil e pelo exterior e está em cartaz ainda em 2006. Estreia no cinema no papel do cangaceiro Lampião, em O Baile Perfumado, filme pernambucano de 1996. A produção, de baixo orçamento mesmo para os padrões brasileiros, fez sucesso em festivais e os cineastas dos grandes centros tiveram sua atenção atraída para Vasconcelos. Na sequência, fez filmes para Walter Salles e Andrucha Waddington. Na televisão, teve uma curta participação na novela Senhora do Destino e em séries. Gravou no interior da Paraíba a micro-série da Rede Globo A Pedra do Reino, adaptação do romance de Ariano Suassuna, com direção de Luiz Fernando Carvalho, que foi ao ar em junho de 2007. Em 2008, interpretou o jornalista Ivan na mini-série Queridos Amigos, da REDE GLOBO, que foi ao ar de fevereiro a março.
Em 2013, interpretou Donato na novela Flor do Caribe.
Em 2014, interpretou Fred na novela Geração Brasil.
Em 2015, interpretou Bento na novela Além do Tempo.
Em 2016, interpretou Euclydes na minissérie Justiça.[2]
(fonte: wikpedia)



Workshop
com
Oscar Espínola (Palhaço XUPETIN)
21/07 de 15h às 18h

Aberto às/aos interessada(o)s na arte palhaços.
Proposta básica: A partir de um bate papo “prático” e de algumas brincadeiras a proposta é transmitir algumas técnicas de expressão corporal, técnicas de cascata, escada bartolete e artes do picadeiro pautadas prioritariamente nos clássicos movimentos de palhaços tradicionais de circo-picadeiro.


 SOBRE OSCAR ESPÍNOLA
Considerado “O Rei dos Palhaços”, Xupetin recebeu inúmeros prêmios, sendo eles: Prêmio APCA-Associação Paulista de Críticos de Arte (o único palhaço a ser agraciado com este prêmio que é específico para cinema, televisão, rádio e teatro); Troféu Picadeiro-Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo; Troféu Arte Circense-Secretaria de Cultura Prefeitura de São Paulo. Além disso: foi tema de duas edições do Globo Repórter; participou da novela Mulheres de Areia  contracenando com o protagonista Tonho da Lua; participou em 1993 do programa Criança Esperança com o tema Circo, juntamente com o ator Marcos Frota e a companhia do Grande Circo Popular do Brasil.

segunda-feira, 1 de agosto de 2016



31 de Julho, domingo! O VI Encontro de Palhaços foi muita alegria

A CIRCUS agradece a todos! 


A CIRCUS, juntamente com apoiadores locais e a Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, promoveram quatro dias intensos de atividades, e o último dia a programação não foi diferente. Para encerrar essa palhaçada pra lá de boa o domingo começou com a divertida Concentração de Palhaços que contou com os improvisos de números circenses e apresentações musicais no Parque Buracão, onde o público se aglomerou para rir, se divertir e aplaudir. 



Na sequência tivemos o espetáculo Flamingos de Fuego Trio com o grupo The Pambazos Bros. Espetáculo integrado por três músicos românticos incansáveis, levaram ao público clássicos do Bolero, da Cumbia e do Chachacha em versões cômicas. Um acurado repertório, a partir das técnicas de clown excêntrico, unindo música, humor, manipulação e mágicas. As apresentações continuaram com o espetáculo Mas que legal, explosão de gargalhadas com o palhaço Biriba e o encerramento do dia fica por conta do grupo Maracatu Batucae.



Chegado ao fim do VI Encontro de Palhaços, a CIRCUS agradece os parceiros e apoiadores, artistas e a todos que estiveram presentes. Este Encontro foi realmente um evento de muitos encontros especiais e tudo isso não seria possível sem presença de cada um de vocês!


Equipe de Produção do VI Encontro de Palhaços


domingo, 31 de julho de 2016



E o sábado foi pra lá de bom!




O VI Encontro de Palhaços está alegrando Assis e deixando sua marca no calendário cultural da nossa região. O dia começou com a Oficina do Palhaço Tomate. A programação deu sequência no CEU – Park Colinas, onde às 16hs, o grupo Rosa dos Ventos, de Presidente Prudente apresentou A Farsa do Advogado Pathelin, texto da Idade Média, que apresentou gargalhadas de outros tempos, explorando a acidez e o apimentado dos bufões medievais.







Mais uma vez o Galpão Cultural esteve lotado para prestigiar mais uma atração internacional com o palhaço argentino Tomate, e seu espetáculo Tomate, puro Tomate, espetáculo para todas as idades, onde apreciamos e nos divertimos com as muitas possibilidades cômicas no uso de bexigas e balões.
Na sequência, no próprio Galpão Cultural o picadeiro do VI Encontro de Palhaços ficou livre para qualquer palhaço e para todo e qualquer artista, que apresentaram um pouco de seu trabalho no Espaço dos Renegados. Momento em que tudo foi possível e nada foi negado, sob o comando do palhaço Jeca e diante de uma plateia disposta à quase tudo.



Para alongar o sábado e aproveitar cada momento deste fim de semana tivemos a apresentação musical de Samba Rural, com o grupo de Capoeira Angola “Angoleiros do Sertão”, que trouxe um pouco mais da cultura popular para este grande circo armado em Assis. A noite se estendeu com grupo local É Proibido Cochilar